Cólica renal e suas consequências

Cólica renal e suas consequências

A cólica renal é uma das patologias mais comuns na urologia e corresponde a 5% de todos os atendimentos em pronto-socorro.

Ela surge a partir da obstrução do ureter devido à formação de cálculos renais na região. Os cálculos são formados pela aglutinação de cristais calcificados que formam uma massa dura. Quando formados nos rins, eles não causam dor e quando pequenos, podem ser expelidos sem dificuldades através da urina.

Mas uma vez que migram para o ureter, canal que permite o escoamento da urina para a bexiga, causam pressão sobre os rins e compromete a passagem da urina, que pode se acumular no órgão, caracterizando um quadro de hidronefrose.

Essa situação gera uma dor intensa e em alguns casos intolerável, que se concentra na lombar e flancos e irradia para o abdômen e pelve. Se a pedra ficar alojada na metade inferior do ureter pode irradiar também para os testículos ou vagina, e para as pernas. Sintomas como náusea e vômitos podem estar associados às crises de cólica renal. Além disso é comum o aparecimento de sangue na urina.

DIAGNÓSTICO DA CÓLICA RENAL

O diagnóstico é feito pela historia clínica associado a exames de imagem, sangue e urina. Dentre os exames de imagem, atualmente o mais indicado é a tomorafia de abdome sem contraste, que é capaz de diagnosticar 100% dos calculos maiores que 3 mm.

TRATAMENTO

Para aliviar a cólica renal geralmente são indicados remédios anti-inflamatórios e analgésicos.

Cálculos menores que 5mm possuem uma chance grande de serem expelidos espontaneamente pelo trato urinário. Os cálculos maiores que 5mm devem ser avaliados com cuidados, pois possuem uma chance maior de complicações e dificuldade para eliminação,

Em determinados casos, pode ser necessário a realização de cirurgia para retirada da pedra. Atualmente a maioria dos procedimentos são realizados pela técnica de endourologia, ou seja, sem cortes com poucos riscos e rápida recuperação.

Para evitar complicações renais decorrentes das “pedras”, o paciente, principalmente o que já tem histórico de crises de cólicas renais, deve manter uma dieta saudável, com alto consumo de água e baixo consumo de sódio e alimentos conservados e fazer consultas frequentes ao urologista.

Leave a Reply

Your email address will not be published.