Novembro Azul: precisamos falar sobre o câncer de próstata

Novembro Azul: precisamos falar sobre o câncer de próstata

O penúltimo mês do ano tem um significado diferente na área da saúde, em geral. Ele é dedicado à campanha nacional de prevenção e combate ao câncer de próstata. Esse é o segundo tumor mais frequente entre o público masculino Brasil.

Mesmo assim, infelizmente, muitos homens ainda tratam a doença como tabu e preferem não conversar sobre o assunto. Outro comportamento preocupante é o costume de não visitar o médico regularmente e negligenciar os exames de rotina.

Apesar dos avanços da medicina nos últimos anos, o diagnóstico precoce ainda é a arma mais poderosa contra a doença. Para isso, dois exames iniciais são fundamentais para aumentar as chances de cura dos pacientes: o exame de sangue, por meio do Antígeno Prostático Específico (PSA), e o exame de toque retal.

Atenção aos sintomas do câncer de próstata

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), em sua fase inicial, o câncer da próstata tende a evoluir silenciosamente. Muitos pacientes não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata, como dificuldade de urinar e necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou a noite. Na fase avançada, a doença pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

É importante lembrar que o acompanhamento com o médico urologista deve ser periódico e começar na puberdade. Além disso, a Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que homens a partir de 50 anos procurem um profissional especializado para avaliação individualizada em relação ao câncer de próstata. Aqueles da raça negra ou com histórico familiar da doença devem começar os exames preventivos aos 45 anos.

A prevenção é o melhor caminho

Uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer, como também de outras doenças crônicas não-transmissíveis.

Atividades físicas diárias também são importantes na prevenção, assim como o controle do peso adequado. Não esqueça também de tratar a hipertensão, diabetes e problemas de colesterol, além de diminuir o consumo de álcool e evitar o tabagismo.

Atitudes simples podem fazer você viver mais e melhor!

Leave a Reply

Your email address will not be published.